APCD Mogi alerta para riscos gerados por clareadores de dentes sem prescrição

Por: APCD Mogi das Cruzes

Danos causados por produtos não recomendados vão desde sensibilidade até perda de esmalte dos dentes

 

O Diário

02/05/2022 às 10:33.

Atualizado em 02/05/2022 às 10:41

Dentes mais brancos e brilhantes são os desejos de muitas pessoas, mas a busca pelo sorriso perfeito pode esbarrar em riscos para a saúde bucal. Isso porque o acesso e uso de certos produtos de clareamento dental sem orientação de um dentista podem gerar diversos problemas, que vão desde sensibilidade até perda de esmalte dos dentes. A Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas Regional de Mogi das Cruzes (APCD RMC) alerta para os perigos de adquirir e utilizar os itens sem a recomendação de um dentista.

Os clareamentos dentais se tornaram uma tendência nos últimos anos e vem cada dia mais ganhando espaço. Mais que algo apenas estético e cosmético, esse é um tratamento e assim como toda intervenção está sujeita a reações adversas, por isso, ele deve ser feito apenas com produtos prescritos e realizado por dentistas.

O diretor da APCD RMC, o cirurgião-dentista Charleston de Lucas Soleiman Bispo, pontua que parte dos agentes clareadores dentais disponíveis na Internet pode gerar danos aos dentes se usados na quantidade e de maneira errada. “Cada paciente tem sua própria particularidade e nível de clareamento, nem todos conseguem chegar a cor desejada. A expectativa do paciente também deve ser discutida a partir de uma avaliação detalhada onde o dentista vai definir como será a abordagem do tratamento, qual a concentração e por quanto tempo o paciente usará o produto para chegar ao resultado seguro e satisfatório”, esclareceu.

De acordo com o cirurgião-dentista, alguns produtos disponíveis na Internet podem comprometer o esmalte dos dentes. “É o caso dos produtos à base de pó de carvão, elementos que são abrasivos e que se utilizados junto com uma escova de dentes mais dura podem remover uma quantidade significativa do esmalte dos dentes, o que não tem outra forma de reposição a não ser um tratamento restaurador. Outro risco é a utilização da luz como catalisadora da reação de clareamento. As altas temperaturas geradas por algumas fontes podem causar sensibilidade nos dentes, levando a uma inflamação e até a necessidade de tratamentos endodônticos”, orientou.

Os riscos de recorrer aos produtos pela Internet são conhecidos pelos dentistas e por isso a importância de alertar os pacientes. “Os tratamentos estéticos são muito procurados nos consultórios, uma das obrigações dos dentistas é alertar as pessoas sobre os perigos de utilizar produtos por conta própria. Os cirurgiões-dentistas são capacitados para orientar e oferecer os tratamentos mais adequados para cada pessoa”, acrescentou o diretor.

No Brasil, está em vigor desde 2015, a resolução n°06 da Diretoria Colegiada Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que determina que os clareadores dentais que contenham uma concentração maior do que 3% de peróxido de hidrogênio ou de carbamida só podem ser comprados mediante prescrição do cirurgião-dentista.

A medida foi motivada por pedidos de entidades odontológicas que notaram a venda de produtos irregulares e sem registro pela Internet. A ideia da resolução é que o paciente tenha acesso aos itens com a devida orientação e prescrição dos profissionais, e assim, evitar risco à saúde.

https://odiariodemogi.net.br/cidades/apcd-mogi-alerta-para-riscos-gerados-por-clareadores-de-dentes-sem-prescric-o-1.39789

Voltar
banner transparência www.cropsp.org.br